Cristão e Política: Compliance

“Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás” (Josué 1.8). Que promessa maravilhosa! Que desafio enorme!

Enquanto cristãos, temos um desafio a cumprir: viver de acordo com os mandamentos bíblicos. Mas devido ao nosso coração pecaminoso, só conseguiremos viver a vida cristã pela graça divina, graça capacitadora! Pelo sacrifício de Jesus na cruz temos a possibilidade de sermos limpos dos nossos pecados e de nascermos de novo! Assim, com toda a liberdade que Ele nos deu, escolhemos meditar na Palavra de Deus, viver de acordo com sua Lei e, então, a promessa se cumprirá: farás prosperar o teu caminho.

Viver de acordo com a lei, seja lei divina ou humana, nos traz grandes benefícios. Nos últimos anos, o termo “compliance” tem ganhado mais espaço nas empresas, principalmente, aquelas que possuem relações com a Administração Pública. “Compliance” é a capacidade de agir de acordo com uma ordem, conjunto de regras ou solicitação. É o enquadramento, cada vez mais requisitado, da corporação e dos seus colaboradores em padrões éticos e legais.

No contexto dos negócios, “compliance” normalmente opera em dois níveis: conformidade com as regras externas impostas a uma organização como um todo e conformidade com sistemas internos de controle impostos para alcançar a conformidade com as regras impostas externamente. Os principais benefícios das empresas que adotam o “compliance” são: a preservação da integridade civil e criminal, aumento de eficiência, vantagem competitiva, ganhos de produtividade. Será que é semelhante à promessa do livro de Josué 1.8?

Deus estabeleceu um alto padrão de comportamento para cristãos e nos capacita a vivê-lo. Como está escrito em Mateus 5.16: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.” Quando aplicamos princípios éticos nas nossas tomadas de decisões, preservamos ilesa nossa integridade, resiliência e honramos a Deus.

:: Miriam Caetano – Grupo de Alão Política – GAP

Foto: unsplash.com

Fonte: lagoinha

Leave a Reply

Your email address will not be published.