O valor da pontualidade

O valor da pontualidade

413
SHARE

O valor da pontualidade

Temos muitos compromissos em nosso corrido cotidiano, e em sua grande maioria, precisamos ser pontuais e chegar no horário combinado. Nos mais variados aspectos, vivemos hoje a famosa “cultura do atraso”. Os meios de transporte, como ônibus, avião e outros sofrem atrasos. No casamento, os convidados, o noivo, os padrinhos e, principalmente, a noiva, também se atrasam. Em consultas médicas são raros os profissionais que honram o horário marcado com o paciente. Enfim, a lista da falta de pontualidade é grande e contínua.

É claro que imprevistos acontecem, e podem nos impedir de chegarmos no horário marcado, mas cultivar o hábito de não ser pontual é falta de responsabilidade e pode ser mudado. Tudo é uma questão de autodisciplina. Isto envolve uma mudança no caráter. Algumas instituições mantêm à risca o cumprimento dos horários. Outras deixam a desejar.

A cultura brasileira precisa aprender muito com a dos britânicos, pois eles levam a sério a questão do horário marcado e são, em sua maioria, intolerantes quanto a atrasos. Ser pontual é, segundo o Dicionário Aurélio, a qualidade daquele “que chega, parte, ou cumpre as obrigações ou compromissos, executa trabalho, à hora marcada”. Neste assunto, sobre sermos precisos quanto aos horários, há dois extremos: aqueles que chegam com muita antecedência e aqueles que chegam com muito atraso ao compromisso.

É necessário que haja um equilíbrio quanto à nossa pontualidade. O ideal é nem muito antes e nem tão depois. Já imaginou chegar sempre atrasado no trabalho? Isto pode ocasionar em uma demissão por justa causa. E na escola? O aluno pode ficar sem assistir às aulas se chegar após o horário do portão ser fechado. O outro extremo é a pessoa chegar com muita antecedência ao horário combinado, o que é uma falta de bom senso e até mesmo uma gafe. Imagine uma festa em que alguns chegam uma hora antes do marcado? Provavelmente, o anfitrião estará desprevenido no que diz respeito a recepcionar os convidados. Ser pontual significa chegar no horário combinado, nem tão antes nem depois.

Em relação aos cultos em nossas igrejas, é certo que um percentual de pessoas que têm o hábito de chegarem atrasadas perdem total ou parcialmente o precioso momento de louvor e adoração, que é tão importante como qualquer outro ato do culto. Se nos compromissos com as atividades da igreja alguém tem a tendência de ser relaxado, o que se dirá em outros aspectos que envolvem sua vida social? A parábola das dez virgens nos traz grandes lições.

As cinco virgens imprudentes foram impedidas de entrar nas bodas, devido ao atraso quando saíram para comprar azeite (Mateus 25.10-11). A fidelidade quanto à nossa pontualidade nos compromissos em geral precisa mais do que nunca ser resgatada e equilibrada. Parece contraditório, mas há aqueles que fazem de tudo para chegarem com antecedência a uma consulta médica, para fazerem o check-in e não perderem o voo, para pagarem uma fatura antes do banco fechar, para serem pontuais no emprego e na escola, mas com relação a chegar no horário nos cultos, relaxam e sempre se atrasam. Cultivar uma pontualidade equilibrada nas atividades da igreja é mais que uma demonstração de responsabilidade e respeito, é uma atitude de adoração a Deus. Precisamos atentar mais para nossa pontualidade em nossos encargos pessoais, mas principalmente em relação aos nossos compromissos espirituais.

Não permita que seus atrasos virem um hábito. Precisamos desempenhar com excelência nossos afazeres. Darlene Zschesch declara em seus escritos que: “A excelência está nos detalhes. Excelência significa disciplina”. Será que não precisamos rever a questão de como estamos sendo negligentes em nossos compromissos quando o assunto é pontualidade? É possível termos equilíbrio neste aspecto, se simplesmente mudarmos nossos hábitos rotineiros e organizarmos melhor nosso tempo, lembrando sempre que compromissos envolvem pessoas.

No tempo em que servi o Exército Brasileiro era obrigatório estar em todos os compromissos exatamente 15 minutos antes do horário marcado, para que a chamada fosse realizada. Caso alguém se atrasasse alguns minutos, teria que haver uma justificação verbal e, dependendo da situação, receberia uma punição. O renomado escritor Augusto Cury faz uma menção que nos leva a uma importante reflexão: “Uma pessoa inteligente aprende com os seus erros, uma pessoa sábia aprende com os erros dos outros”. Também penso que podemos apreender com os erros de outros. Portanto, para evitarmos certos constrangimentos e falta de respeito, sejamos pessoas com caráter autodisciplinado, comprometendo-nos a chegar com alguns poucos minutos de antecedência aos nossos compromissos.

Mesmo que seja impossível que cumpramos à risca os horários de todas as nossas atividades, porque imprevistos ocasionalmente acontecem, é possível obtermos êxito na maioria delas. O problema não está em chegar atrasado; o problema está em viver uma vida habituada à cultura do atraso. Seja equilibrado em sua pontualidade. Isso faz toda diferença!

::Ademir Almeida – missionário, capelão prisional e graduando em psicologia

Share

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY