Três acidentes aéreos em apenas 7 dias. Qual será o motivo?

Três acidentes aéreos em apenas 7 dias. Qual será o motivo?

242
SHARE

Três acidentes aéreos em apenas 7 dias. Qual será o motivo?

Uma área seca de terras vermelhas e baixos arbustos, em Mali. Foi nesse lugar que o Exército da França encontrou os destroços do avião da Air Algérie, que caiu no continente africano na manhã de quinta-feira (24). No voo estavam 112 passageiros e seis tripulantes, que viajavam de Uagadugu, em Burkina Faso, a Argel, na Argélia. Ainda não se sabe quais foram as causas do desastre. Não houve sobreviventes.

Em apenas 7 dias, três grandes acidentes aéreos foram registrados no mundo, contrariando as estatísticas internacionais que afirmam que o avião é o meio de transporte mais seguro que existe, com a média de um óbito para cada 1 milhão de passageiros embarcados – sendo o automóvel o meio mais perigoso, com cerca de 200 óbitos por 1 milhão.

Na quarta-feira (23), um outro acidente já havia ocorrido, porém, no continente asiático. Ao longe, as ondas gigantes encobriam o farol na beira da praia, os ventos fortes levavam galhos de árvore no ar, enquanto os postes e as árvores sacodiam agressivamente fixados ao chão. Era o tufão Matmo que chegava a Taiwan (mapa abaixo). Sobre a região, o avião ATR 72-500, da companhia TransAsia, levava a bordo 54 passageiros e quatro tripulantes. O piloto, devido às más condições do tempo, tentou aterrissar, entretanto, quando sobrevoava perto do aeroporto de Magong, já em uma segunda tentativa de aterrissagem, a aeronave não resistiu aos ventos fortes e se chocou com duas casas. Quarenta e sete pessoas morreram e 11 ficaram feridas.

Uma semana antes, no dia 17 de julho, o Boeing 777 da Malaysia Airlines, que levava 298 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulantes, foi abatido, na região de Donestek, na Ucrânia, por um míssil enviado por separatistas pró-rússia. Todos a bordo morreram. A região sofre com os conflitos políticos armados desde novembro de 2013, quando o então presidente, Viktor Yanukovych, decidiu apoiar o governo russo e não a União Europeia – posteriormente, ele foi deposto do cargo por meio de protestos populares.

Cerca de 4 meses antes, em 8 de março, a Malaysia Airlines já havia sofrido com o desaparecimento do avião que realizava o voo MH-370, que saiu de Kuala Lumpur, na Malásia, com destino a Pequim, na China, transportando 239 pessoas. O avião desapareceu dos radares após 40 minutos da decolagem e mudou a rota, seguindo a direção contrária ao trajeto inicial. O sinal foi perdido enquanto sobrevoava o mar, no Golfo da Tailândia. Segundo informações de satélites, o voo continuou por mais 7 horas depois da perda de contato com os radares e todos os sistemas de comunicação estavam desativados. Nenhuma parte da aeronave e nenhum dos corpos, até o momento, foram encontrados.

Como explicar?

Quatro casos distintos de acidentes envolvendo o meio de transporte mais seguro do mundo geram apenas uma única certeza: não podemos prever o que irá acontecer. Mesmo com equipamentos e aeronaves revisados pelos melhores sistemas de engenharia e segurança, com profissionais experientes no comando, o inesperado não pode ser evitado. Então, o que fazer? É preciso estar preparado. Mas preparado como? Ninguém sabe o momento certo em que encontrará a morte, contudo, é importante que tenhamos a consciência de que a vida termina, e, ao contrário do que alguns acreditam, existe a vida eterna após a morte, que pode ser no céu ou no inferno. A escolha é somente nossa.

Por isso, o Senhor Jesus, por diversas vezes na Bíblia, alerta para a importância de se buscar o Reino de Deus. “Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos ou que beberemos ou com que nos vestiremos? Decerto, vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas essas coisas; mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.” Mateus 6.31-33

O desejo do Senhor Jesus é de que todos tenham acesso à Salvação, que é proporcionada aos que acreditarem nEle como Único Salvador. Essa Salvação não tem a ver apenas com um livramento em vida, neste mundo, mas também com a Salvação da morte espiritual, ou seja, do destino que o mal espera e deseja para toda a humanidade.

Share

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY